Buscar
  • Fapeg

FCUP recebeu organização de referência na investigação em horticultura do Brasil.

Grupo de investigadores, técnicos e produtores da EMBRAPA visitou Portugal e já pensa adotar boas práticas e realizar parcerias com a U.Porto.

Por Renata Silva / FCUP


A Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), através do GreenUPorto – Centro de Investigação em Produção Agroalimentar Sustentável, recebeu uma visita técnica de investigadores, técnicos e produtores de uma reconhecida organização internacional na área da horticultura, a EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.


Durante uma semana, este grupo de especialistas da área da horticultura pôde conhecer explorações agrícolas ao ar livre e em estufa, viveiros, empresas de processamento e de embalamento de hortícolas de Norte a Sul do país. “Na segunda-feira, visitámos a região hortícola da Póvoa de Varzim, com tradição no abastecimento dos mercados em fresco do noroeste de Portugal, na terça, o Oeste, concelho de Torres Vedras, e na quarta o Ribatejo, nomeadamente os concelhos de Santarém e Coruche”, descreve Ana Aguiar, docente da FCUP e investigadora do GreenUPorto, que coordenou esta série de visitas.


As visitas incluíram toda a fileira hortícola desde a produção, em campo, em estufa e em substrato, ao processamento e embalamento com lavagem, seleção, descasque, corte e embalagem, à comercialização e distribuição, através de organizações de produtores, em leilão e para supermercado. “Foram discutidas oportunidades e desafios do setor, exigências regulamentares, de qualidade e de rastreabilidade”, acrescenta Joana Neto, investigadora e alumna da FCUP que ajudou a organizar a iniciativa.


Múltiplas possibilidades de parceria com a U.Porto


Para a equipa recebida pela FCUP e GreenUPorto, o balanço não poderia ser mais positivo. “Portugal tem algumas diferenças na produção relativamente a alguns aspetos. Chamou-nos a atenção a organização em termos de associação de produtores, cooperativas e a área de comercialização que é diferente da realizada no Brasil”, refere Walter Nascimento, da EMBRAPA Hortaliças, e que organizou a visita técnica a Portugal. “A exigência é bem maior. Foi bastante interessante de ver: o quão importante é qualidade do produto e a rastreabilidade dos produtos para que cheguem ao consumidor de forma segura”, acrescenta.


Esta foi a segunda visita à Europa por parte da comitiva brasileira, que em 2018 esteve em Almeria, Espanha. Walter Nascimento assegura que algumas boas práticas podem ser replicadas no Brasil com sucesso e reforça as múltiplas possibilidades desta parceria com a Universidade do Porto, como a participação em projetos de investigação e a formação de recursos humanos e estudantes.


Na quinta-feira, realizou-se o “Seminário Hortícola Portugal-Brasil”, no qual participaram investigadores, técnicos da Direção Regional de Agricultura e das empresas de fatores de produção agrícola, bem como dirigentes de associações e estudantes.


Semear o conhecimento sobre horticultura em Portugal e no Brasil


“Em agricultura, seminário é o local onde se semeia, mas a palavra seminário é também usada para referir o local onde se estuda para a vida eclesiástica, uma sessão de trabalho voltada para a aprendizagem ou uma reunião de especialistas para estudo de certas questões”, refere Ana Aguiar.


No evento que decorreu no Campus de Vairão da Universidade do Porto, que contou com a presença da subdiretora da FCUP, Conceição Santos, na abertura, estiveram também presentes os corpos sociais recentemente eleitos do Colégio de Engenharia Agronómica da Ordem dos Engenheiros. Na primeira parte do seminário, o GreenUPorto e o Colab4food- Laboratório Colaborativo para a Inovação do sector Agroalimentar em Portugal apresentaram as suas atividades e, na segunda parte, a Ordem dos Engenheiros lançou o debate acerca do papel e os desafios do engenheiro agrónomo hoje. O evento terminou com a intervenção da Diretora Regional de Agricultura do Norte, Carla Alves.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo